Já se sabe que a célula-tronco é capaz de se auto multiplicar, gerando outras células idênticas à original, sendo encontrada por exemplo no cordão umbilical.

Porém, recentemente descobriu-se que a polpa (nervo) do DENTE DE LEITE é uma fonte riquíssima em células-tronco que têm a capacidade de se transformarem e gerarem uma ampla variedade de células dos mais diferentes tecidos do nosso corpo (ossos, cartilagens, neurônios, pele, músculos…), ao contrário das células-tronco encontradas no sangue do cordão umbilical que só se diferenciam em células hematopoiéticas (sanguíneas). . .
As células-tronco da polpa do dente de leite estão sendo estudadas em grandes centros de pesquisa do mundo inteiro, inclusive no Brasil, para serem utilizadas de maneira prática, no tratamento de doenças autoimunes, doenças degenerativas e para atuar na regeneração de tecidos. .

Só que para isso acontecer, os dentes de leite precisam ser removidos por um dentista e conservados em condições especiais e específicas (congelamento em empresas especializadas nisso). ..
Dentes tirados em casa, sem quantidade suficiente de raiz e guardados sem o devido cuidado específico NÃO SERVEM para colher células-tronco. .

Quais as vantagens de armazenar as células-tronco do dente de leite? .

Processo não invasivo e pode ser feito durante a troca fisiológica dos dentes;
São imunocompatíveis com a família também, ou seja, as células-tronco servem para tratamento de doenças degenerativas também de irmãos, avós…;
Podem ser criopreservadas (congeladas) por longos períodos.

FONTE: IG odontopediatriabrasil