DERMATOLOGIA CLÍNICA

ACNE

O acne é uma doença comum que acomete homens e mulheres, da infância até a vida adulta. Sua causa é multifatorial, estando relacionado com obstrução e inflamação da glândula sebácea, excesso de produção de sebo e infecção pela bacteria Propionibacterium acnes. Ela causa dano a pele principalmente da face, causando desconforto estético. Além da doença ativa ainda existem suas complicações como cicatrizes escuras e as retraídas. O tratamento dela pode ser feito com medicações tópicas orais e podem auxiliar procedimentos como limpeza de pele e peelings.

CANCER DA PELE

Nome genérico dado às lesões malignas da pele. É o tipo de câncer mais comum no mundo. São eles o Carcinoma Basocelular, Carcinoma Espinocelular e Melanoma, entre outros tipos. A exposição solar sem proteção adequada é um fator de risco importante para todos os tipos de câncer de pele, embora possam surgir em áreas cobertas e não expostas ao sol. Deve ser feita a prevenção com uso de filtro solar e evitar a exposição solar. Além disso recomenda-se realizar periodicamente exame médico dermatológico para avaliação de possíveis lesões ou pintas que possam ser ou evoluir para câncer da pele).

DERMATOSCOPIA

Exame não invasivo realizado pelo dermatologista com um aparelho para auxiliar o diagnóstico do câncer da pele precocemente e diferenciá-las de lesões benignas da pele.

ESTRIAS

As estrias caracterizam-se por um rompimento das fibras elásticas que sustentam a camada intermediária da pele, formada por colágeno e elastina (responsáveis pela sua elasticidade e tonicidade). Os locais mais comuns das estrias são: nádegas, abdomen, seios e braços; e acometem tanto as mulheres quanto os homens. Clinicamento podem se manifestar com coloração branca (mais antigas, com coloração clara e mais fina que a pele ou coloração avermelhada, significa que são mais recentes.Para prevenir o surgimento das indesejáveis estrias são importantes alguns cuidados, tais como: controle do peso e prática de exercícios físicos regulares. O uso de cremes hidratantes também colaboram para sua prevenção. Após avaliada pelo dermatologista e diagnosticada corretamente podem auxiliar no tratamento delas o uso de substâncias que renovam o colágeno aplicadas no local, associadas a peelings químicos ou lasers não ablativos.

HIPERIDROSE

Hiperidrose é o suor excessivo. A sudorese é condição normal para nosso corpo manter a temperatura, entretanto algumas pessoas podem suar mais que o normal em algumas partes do corpo como axila, palma das mãos, rosto, planta dos pés. Pode decorrer de fatores emocionais, hereditários ou de doenças. A situação pode ser desconfortável, indutora de ansiedade e até incapacitante, entretanto existe tratamento para melhorar essa condição com medicações tópicas, orais e aplicações de toxina botulínica.

MELASMA

O melasma é uma doença que causa manchas na pele, principalmente na face, podendo ocorrer no corpo. Geralmente acomete mulheres em idade fértil, mas pode apresentar em homens. Está relacionada com fatores hereditários, alterações hormonais e exposição a luz solar, sendo esse o principal fator envolvido. O tratamento é baseado em proteção contra luz com filtro solar, bonés e chapéus, além de uso de cremes clareadores e procedimentos realizados em consultório pelo dermatologista.

INFECCIOSAS

Há diversas infecções que podem acometer a pele. Bacterianas como impetigos, foliculites e abscessos. Virais como herpes labial e genital,herpes zoster, molusco contagioso e verrugas virais. Infecções fúngicas também podem causar micoses na pele, cabelos e unhas. Podem ser tratadas com medicamento tópicos ou via oral e procedimentos como cauterização e crioterapia.

UNHAS E MUCOSAS

Existem doenças que afetam exclusivamente as unhas ou doenças da pele que podem também acometer as unhas. Se manifestam com fragilidade, espessamento, alteração do formato e cor das unhas. Podemos citar algumas doenças como a micose, psoríase, tumores, traumas, entre outros. A mucosa oral e genital também podem ser afetadas por algumas doenças e lesões, que são diagnosticadas e tratadas pelo dermatologista em conjunto com ginecologista e cirurgião dentista, e outros médicos especialistas.

QUEDA DE CABELO

Alopecia Androgenética ou Calvície, é a causa mais comum de perda capilar. É uma doença lenta e progressiva, causada pela predisposição genética e influência  hormonais, responsáveis por um processo de miniaturização, ou afinamento, dos fios. Pode ocorrer ambos os sexos. O tratamento pode ser feito com medicações tópicas, orais e procedimentos auxiliares para diminuição da queda e recuperação dos fios perdidos.

Alopecia Areata é uma doença que provoca queda dos fios, multifatorial, com participação auto-imune, podendo atingir pequenas áreas, múltiplas e até todo o couro cabeludo. O tratamento pode ser realizado com corticoides tópico ou enjeitáveis, estimuladores de crescimento capilar e drogas sensibilizantes.

Outras doenças podem causar queda capilar como dermatite seborreica (caspa), psoríase, doenças sistêmicas, desnutrição e estresse.