O pré-natal odontológico deve ser incluído nos cuidados que a gestante tem durante os nove meses de gravidez. Isso porque, esse é um período em que a saúde bucal da mulher fica mais suscetível a certas doenças, como inflamações na gengiva e cárie. Ao mesmo tempo, não é a fase ideal para alguns tratamentos, por isso que a prevenção, como sempre, é o melhor caminho.

Segundo a cirurgiã-dentista, Adriana Mazzoni, especialista em odontopediatria, informações sobre a saúde geral e bucal da gestante, e quanto qualquer desequilíbrio nesta fase, podem ajudar a prevenir problemas que podem alterar a saúde e formação da boca do feto. “Infecções e problemas inflamatórios bucais da gestante podem antecipar o parto, e bebês de parto prematuros ficam mais suscetíveis à instalação de cáries”, diz.

O melhor período para procurar o cirurgião-dentista é no segundo trimestre, porque a gestante não está mais enjoada e não está tão pesada para deitar na cadeira odontológica. E, ao contrário do que se pensa, as gestantes estão liberadas para tratar os dentes. “Seria interessante evitar clareamento dental, tratamentos cirúrgicos que possam esperar e tratamento de canal e implantes dentários que também possam esperar”, afirma Adriana.

Problemas para a gestante 

A gestante não está mais propensa a ter problemas dentários, mas, nesta fase, a dieta pode mudar por conta dos enjoos e desejos, além dos episódios de vômitos que dificultam até a hora de escovar os dentes. A saliva fica modificada pela alteração de dieta e hormonal e isso também pode favorecer a instalação de cáries. “A gengiva nesta fase pode sangrar mais facilmente pela alteração hormonal e, por estes motivos, é que ressalto a importância de visitar o cirurgião-dentista e evitar o aparecimento de problemas bucais em uma época tão emocionante das nossas vidas”, diz Adriana.

Problemas para o bebê
A especialista explica que a dentição de leite tem um período de formação durante a gestação e pós-nascimento e alguns fatores, como desnutrição da mãe e qualquer outro tipo de infecção ou medicamentos, podem alterar a formação dos dentes de leite. “Qualquer infecção da mãe pode alterar o desenvolvimento e formação do esmalte dentário, já que as células são muito sensíveis e o desequilíbrio do corpo da mãe pode alterar esta formação”, afirma.

FONTE: Terra